O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

CNN Brasil
TikTok e bandeira dos EUA

Apple e Google são solicitadas a banir o TikTok nos EUA

A China anda observando muito mais do que os vídeos postados

Um dos líderes da Comissão Federal de Comunicações (Federal Communications Commission, ou FCC) pediu à Apple e ao Google que removessem o TikTok das suas lojas de aplicativos nos Estados Unidos, conforme noticiou a CNBC.

Publicidade

O comissário Brendan Carr compartilhou em seu Twitter uma carta que enviou tanto para Tim Cook, CEO1 da Apple, quanto para Sundar Pichai, CEO do Google, pedindo que removessem o TikTok da App Store e da Play Store. A alegação seria que o app chinês de vídeos curtos teria violado as políticas de privacidade das duas lojas.

Na carta e na rede social, Carr declara que o TikTok “não vê apenas os vídeos de dança de seus usuários”, mas também “coleta históricos de pesquisa e navegação, padrões de pressionamento de tecla, identificadores biométricos, rascunhos de mensagens e metadados, além de coletar texto, imagens e vídeos armazenados na área de transferência de um dispositivo”.

O TikTok não é apenas mais um aplicativo de vídeo. Essa é a roupa do cordeiro. Ele coleta faixas de dados confidenciais que novos relatórios mostram que estão sendo acessados em Pequim. Pedi à @Apple e ao @Google que removessem o TikTok das suas lojas de aplicativos por seu padrão de práticas de dados clandestinos.

Carr disse, ainda, que o app representa um “risco de segurança nacional inaceitável” por acessar dados confidenciais de usuários americanos em Pequim (na China), onde fica a sede da ByteDance, dona do TikTok. Ele completa afirmando se tratar de uma empresa “que pertence ao Partido Comunista Chinês, o qual exige por lei que cumpram suas demandas de vigilância”.

Publicidade

As alegações do comissário seguem a matéria do BuzzFeed, que divulgou áudios de funcionários os quais afirmavam que o app continuava fornecendo informações de usuários americanos para a China, mesmo após a empresa ter afirmado que os dados permaneciam nos EUA.

Essa história, entretanto, não é nova. Ainda no governo do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, muitas preocupações acerca dos dados dos americanos sendo armazenados na China teriam sido trazidos à tona até o ponto de tentar banir o app no país.

Como condição de funcionamento, Trump pedia que houvesse a participação de empresas americanas nas atividades do TikTok, o que a companhia chinesa relutou em aceitar. O intento acabou não se concretizando e a ordem foi revogada logo depois por Joe Biden.

Publicidade

Após a repercussão da matéria do BuzzFeed, o TikTok anunciou que estaria movendo todos os dados de usuários dos EUA para servidores da Oracle situados no país. Atualmente, a empresa utiliza seus próprios servidores baseados nos EUA e em Singapura para backups, mas que futuramente removerá os dados privados dos usuários dos EUA de seus próprios data centers. Para fornecer ainda mais garantia, a chinesa disse que realizará “mudanças operacionais”, incluindo a criação de um novo departamento com liderança americana para lidar com os dados americanos.

Resta saber se essas medidas contribuirão para o fim dessa novela ou se ainda teremos alguns capítulos.


Ícone do app TikTok
TikTok de TikTok Ltd.
Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com o iMessage
Versão 25.4.1 (330.6 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Oferta: MacBook Pro de 13" (M2, 512GB) com 26% de desconto

Próximo Artigo
Login com o Google, a Apple e o Facebook no 1Password

1Password facilitará logins com Google, Apple e Facebook

Posts Relacionados