O melhor pedaço da Maçã.

Vendas de Macs caíram no 2º trimestre de 2022, aponta IDC [atualizado 2x]

macOS Ventura em Macs

O mercado mundial de computadores teve, por dois anos consecutivos, uma taxa de aumento grande. Tudo leva a crer que a razão disso tenha sido a pandemia, quando muitos precisaram trabalhar remotamente a partir de seus próprios computadores. O ano de 2022, entretanto, tem demonstrado quedas nesse mercado, e a Apple sofreu com o baque.

Publicidade

Dados da International Data Corporation (IDC) mostraram que as vendas globais de computadores caíram 15,3% no comparativo ano a ano, para 71,3 milhões de unidades no segundo trimestre de 2022.

Essa é a segunda queda consecutiva depois dos prósperos dois anos. A empresa de análise afirma que a queda foi pior que a prevista por conta do lockdown na China, que é a grande fornecedora de componentes.

Os temores de uma recessão continuam aumentando e enfraquecendo a demanda em todos os segmentos. A demanda do consumidor por PCs enfraqueceu no curto prazo e corre o risco de perecer no longo prazo, à medida que os consumidores ficam mais cautelosos com seus gastos e, mais uma vez, se acostumam à computação em vários tipos de dispositivos, como telefones e tablets. Enquanto isso, a demanda tem ficado mais robusta, embora também tenha diminuído à medida que as empresas postergam as compras.

Jitesh Ubrani, gerente de pesquisa de dispositivos móveis de rastreamento da IDC

Ainda que o fornecimento de peças seja um problema, a alcunha de “queda” se deve mais ao comparar esses números aos da pandemia, quando atingiram 74 milhões de unidades no segundo trimestre de 2020. Se voltarmos para como estava o mercado em 2018 (62 milhões) e 2019 (65 milhões), no mesmo período, vemos que há até um bom crescimento. Portanto, essa queda pode demonstrar apenas o mercado retornando ao seu estado normal, pré-pandemia.

Quanto ao ranking, os três primeiros lugares se mantiveram em comparação ao ano passado: a Lenovo continua na liderança, seguida pela HP; a Dell continuou em terceiro lugar. O Grupo Acer pegou o quarto lugar, enquanto a Apple desceu de quarto para quinto, ficando empatada com a ASUS.

Publicidade

Apesar da queda da Maçã no ranking, a IDC “espera que a Apple aumente sua produção no segundo semestre do ano”. Como a empresa só lançou agora seus novos MacBooks Air e Pro de 13″ (com chip M2), pode ser que a história seja diferente na análise de vendas do próximo trimestre.

via Patently Apple

Atualização 00/00/2024 às 00:00

Logo após a IDC, ontem mesmo a Gartner também divulgou os seus resultados acerca do mercado de computadores no segundo trimestre de 2022.

Publicidade

De modo geral, os números se assemelham aos da IDC, com pouca variação. Em termos de vendas gerais, a Gartner estimou vendas um pouco maiores, na casa dos 72 milhões de unidades.

No ranking, as três primeiras colocadas permaneceram com números semelhantes. A grande diferença foi que, nessa análise da Gartner, a Apple ficou em 4º lugar, com pouco mais de 6 milhões de unidades (em vez dos 4,8 milhões divulgados pela IDC).

Publicidade

Na comparação ano a ano, a Gartner afirmou, inclusive, que a Apple foi a única empresa que experimentou um crescimento (9,3%) nesse período, e que muito disso foi por conta das máquinas equipadas com o chip M1.

Se a tendência continuar, provavelmente veremos os números da Maçã subirem ainda mais com a chegada de computadores equipados com o M2.

via iMore

Atualização II, por Luiz Gustavo Ribeiro13/07/2022 às 11:12

Como se não bastasse a discrepância entre os dados da IDC e da Gartner vistos acima, a Canalys também divulgou sua análise sobre o mercado de Macs/PCs e trouxe números ainda menos positivos para a Maçã.

Segundo a pesquisa, o mercado de computadores retraiu 15% no segundo trimestre deste ano — e a Apple nem apareceu no ranking das cinco maiores fabricantes do período, indicando que ela pode ter comercializado menos de 4,6 milhões de Macs.

Segundo o analista sênior da Canalys, Ishan Dutt, o agravamento da inflação é o fator econômico dominante para a queda na venda de computadores, uma vez que os consumidores têm priorizado outros gastos mais importantes.

Embora a importância de ter um dispositivo de alta qualidade não tenha diminuído, a maioria dos proprietários de PCs com necessidades de computação relativamente básicas ficará satisfeita em superar esse período de incerteza econômica e optar por atualizar seus dispositivos quando a pressão sobre seus orçamentos diminuir ou se o desconto fornecido por fornecedores e varejistas for significativo.

As análises do último trimestre estão bem desencontradas, como podemos notar.

via Patently Apple


Comprar MacBooks Air de 13″ e 15″ de Apple Preço à vista: a partir de R$11.249,10
Preço parcelado: a partir de R$12.499,00 em até 12x
Cores: meia-noite, estelar, cinza-espacial ou prateado
Chip: M2 (CPU de 8 núcleos; GPU de 10 ou 12 núcleos)
Memória: 8GB, 16GB ou 24GB
Armazenamento: 256GB, 512GB, 1TB ou 2TB
Adaptador de energia: 30W, 35W (duas portas) ou 70W

Comprar MacBooks Pro de 14″ e 16″ de Apple Preço à vista: a partir de R$21.599,10
Preço parcelado: a partir de R$23.999,00 em até 12x
Cores: preto-espacial, cinza-espacial ou prateado
Chips: M3 (CPU de 8 núcleos; GPU de 10 núcleos), M3 Pro (CPU de 11 ou 12 núcleos; GPU de 14 ou 18 núcleos) ou M3 Max (CPU de 14 ou 16 núcleos; GPU de 30 ou 40 núcleos)
Memória: 8GB, 18GB, 36GB, 48GB, 64GB, 96GB ou 128GB
Armazenamento: 512GB, 1TB, 2TB, 4TB ou 8TB
Adaptador de energia: 70W, 96W ou 140W

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão sobre vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Twitter agora deixa usuários se desmarcarem de conversas

Próx. Post

YouTube Premium libera PiP para usuários no iOS

Posts Relacionados