O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Review: Roborock S7 MaxV Ultra, um novo nível de aspirador-robô

Quem acompanha o nosso canal no YouTube sabe que, há alguns meses, eu venho aos poucos tornando a minha casa inteligente. Muito antes do meu primeiro dispositivo HomeKit, porém, o primeiro aparelho que tive nessa seara foi um aspirador-robô.

Publicidade

E, de lá para cá, já tive a oportunidade de testar e compartilhar com vocês minhas impressões de alguns deles: o eufy RoboVac 30C, o eufy RoboVac G10 Hybrid e, por fim, o eufy RoboVac X8 Hybrid.

Desta vez, conheci não só o produto de uma outra marca, como também um modelo de um nível bem acima do que estava acostumado até aqui. Falo do Roborock S7 MaxV Ultra, que me deixou tão empolgado logo de cara que meu vídeo de unboxing + hands-on ficou com quase 40 minutos de duração:

Pois bem, faz pouco mais de um mês que venho usando o S7 MaxV Ultra diariamente e agora, como prometido, trago aqui meu review completo sobre ele — focando, é claro, no que há de mais diferente em relação aos outros modelos que já testei até hoje.

Limpeza

Daqui até o final deste review tratarei de vários aspectos desse produto, mas não há nada mais importante num aspirador do que… duh, aspirar, limpar. Pois bem, o S7 MaxV Ultra cumpre bem essa tarefa?

Publicidade

Sim, cumpre e melhor do que todos os que testei até hoje — a começar pelo fato de ele ter uma potência de 5.100Pa, mais do que o dobro(!) do modelo topo-de-linha atual da eufy.

Mas não é só o trabalho de aspirar, é também o de se movimentar de forma inteligente e eficiente para de fato conseguir limpar todo o ambiente sem deixar rastros, e de preferência da forma mais rápida possível.

Publicidade

Sobre isso, o S7 MaxV Ultra:

  • Sabe onde está e começa o seu trabalho sempre muito rapidamente, se movimentando de forma quase tão eficaz quanto um humano se movimentaria. Poucos foram os casos, nestas várias semanas de testes, que observei ele meio “perdido” em algum canto (seja lá por que motivo) até conseguir retomar a sua tarefa.
  • Ao contrário de outros aspiradores-robô que testei, ele não expele um ar forte pelas laterais que, em modelos passados, acabava até prejudicando o processo de limpeza porque jogava sujeira para longe — inclusive para locais onde ele já havia passado.
  • Falando em locais onde já havia passado, se você quiser (e se o nível de sujeira num determinado local estiver pesado), é possível programá-lo para passar pela mesma área 2x ou 3x. O legal é que, se na primeira ele faz um “zig-zag” na horizontal, na segunda fará na vertical.
  • Mesmo com tamanha potência, ele faz menos barulho no seu ajuste máximo (Turbo) do que os outros modelos que já testei.

E isso tudo só falando da aspiração, é claro, porque o S7 MaxV Ultra também passa pano e não daquele jeito “básico” de só encaixar um mop na sua parte traseira e ele ir “arrastando” ele pela casa. Não, há dois diferenciais importantíssimos aqui nessa função.

Primeiro, o mop utiliza o sistema VibraRise, capaz de esfregar o chão até 3.000 vezes por minuto e com pressão — garantindo, assim, uma melhor limpeza. Mas não só isso: ele detecta quando o aspirador passará por cima de tecido (como um tapete ou carpete) e automaticamente eleva o mop, garantindo que só passe pano onde deve. Graças a isso, tenho usado essa função com muito mais frequência do que antes.

Por falar em tapetes/carpetes, ouvi dizer que há aspiradores-robô no mercado que fazem um melhor trabalho de aspirar esse tipo de superfície. Mas eu, sinceramente, não tenho nada a me queixar do S7 MaxV Ultra nesse sentido.

ReactiveAI 2.0

O nome acima é a tecnologia de identificação e desvio de obstáculos desenvolvida pela Roborock, que funciona de forma impressionante mas claramente ainda é algo que será bastante aprimorado no futuro.

Publicidade

Na prática, o S7 MaxV Ultra detecta e evita obstáculos melhor do que qualquer outro aspirador-robô que já testei. Isso inclui fios, brinquedos, sapatos e inclusive coisas maiores, como um ventilador de chão — aqui em casa temos um cuja base é circular, e modelos anteriores que eu testei sempre tentavam “escalar” ela, às vezes ficando presos no ar necessitando de intervenção. O S7 nem se atreve.

O sistema ReactiveAI 2.0 funciona tão bem que a nossa gatinha, a Sansa, já percebeu que o S7 MaxV Ultra não é uma ameaça para ela como eram os modelos anteriores. Antes, ela ficava sempre observando o aspirador trabalhar de longe; agora, sabendo que ele a “enxerga” e não “vai em cima”, ela muitas vezes fica deitadona na frente dele, como se não houvesse amanhã.

E sim, a tecnologia é avançada a ponto de, no assistente inicial de configuração do S7 MaxV Ultra, eu ter informado a ele que tenho um pet em casa. Assim, o sistema fica otimizado para a presença de cachorros e/ou gatos.

Mas, como falei, perfeito isso não é. No próprio vídeo inicial do produto, lhes mostrei que o S7 MaxV Ultra não foi capaz de desviar de um brinquedinho específico da Sansa e se enroscou. Além disso, em certos momentos eu sinto que ele “evita” chegar muito perto de coisas que não deveria, como os pés da minha mesa aqui do escritório.

O legal é que nós mesmos, como usuários, podemos ajudar a ir “treinando” esse sistema pois, olhando no mapa de limpeza, ele vai colocando ícones em cada um desses obstáculos detectados (alguns já inclusive identificados automaticamente por ele, como por exemplo sapatos). Se você quiser, por exemplo, pode tocar em um deles e falar para que ignore aquilo da próxima vez.

Outra função interessante e opcional do S7 MaxV Ultra é que ele pode armazenar uma foto de um obstáculo desconhecido, caso tenha que desviar de algo; assim, você sabe exatamente o que era.

Como assim, uma foto?

Sim, o S7 MaxV Ultra tem uma câmera frontal. Eu nunca imaginei que veria isso num aspirador-robô, mas cá estamos.

Essa câmera junta-se aos vários sensores espalhados pelo robô e pelo seu scanner LiDAR superior para ajudar no sistema ReactiveAI 2.0, identificando melhor tudo à sua volta — não é à toa que ele também tem uma lanterna, que liga automaticamente caso ele esteja limpando um ambiente com pouca luminosidade.

Mas claro que a Roborock não colocaria uma câmera nele só para isso, né? Que tal incluir também um pequeno alto-falante ali, e permitir que você “assista” à limpeza de qualquer lugar do planeta e, se quiser, ainda fale com ele pelo seu smartphone?

Tudo isso é possível com o S7 MaxV Ultra — e bastante divertido, devo dizer. A perspectiva de passear pela casa pelos “olhos” de um aspirador-robô é algo bem diferente, e posso usá-lo inclusive para dar uma espiadinha na Sansa e às vezes também na Lisa (minha outra gatinha, essa humana).

Definitivamente não é algo que você vai usar diariamente, mas eu também não classificaria como um gimmick totalmente desnecessário que só acabou por encarecer o produto. É, sim, algo bacana num aspirador-robô dessa categoria.

Dock

Eu já escrevi sei lá quantos parágrafos neste review e só agora estou chegando a uma das partes mais fantásticas do S7 MaxV Ultra, vejam só.

Antes, vamos entender a linha S7 MaxV da Roborock. Se você quiser, pode comprar apenas o aspirador-robô solto, com sua base de recarga convencional. Um segundo modelo, Plus, adiciona um dock bacana que faz esvaziamento automático da sujeira; já este que eu testei, o Max, também tem um reservatório de água limpa e um para água suja.

Então é isso mesmo que vocês leram: o S7 MaxV Ultra não só aspira toda a minha casa sozinho, como também volta para a sua base de recarga para esvaziar todo o seu compartimento de sujeira e, se eu estiver usando ele em modo mop, também limpa e “espreme” todo o seu pano com água suja, automaticamente.

Neste pouco mais de mês de uso do produto, ainda não tive que trocar o saco de sujeira (acho que ainda vai mais um mês inteiro de uso, fácil — a Roborock sugere trocá-lo a cada 2-3 meses) e nem os tanques de água, já que são bem grandes e ele não consome tanto assim.

Se você não pretende usar muito a função de passar pano na sua casa, eu recomendo altamente que opte pelo menos pela versão Plus, porque o fato de ele esvaziar o caixote de sujeira sozinho foi, para mim, um game changer enorme e que me fez usar o aspirador-robô com muito mais frequência do que antes — visto que eu sei que ele estará ali sempre pronto para a tarefa.

Com os modelos passados que eu testei, houve múltiplas ocasiões em que eu precisei usar o aspirador e notei que o compartimento de sujeira dele estava cheio. Aí, não tem jeito: ou você faz uma limpeza “porca”, para usar na hora, ou tem que passar água e deixar a coisa secando até o próximo uso (normalmente só no dia seguinte). Neste tempo de uso do S7 MaxV Ultra, eu só abri o compartimento uma única vez para passar uma aguinha no filtro, que nem estava tão sujo.

Aliás, se o S7 MaxV Ultra não faz lá tanto barulho ao aspirar, a turbina de sucção da sujeira do Empty Wash Fill Dock é, sim, bastante alta. Achei legal que, uma vez em que passei o aspirador na sala após as 23h, ele voltou para a base e, inteligentemente, não esvaziou o caixote até o dia seguinte para não incomodar ninguém com o barulho. Detalhes.

Se há um aspecto negativo que podemos tratar aqui é que o Empty Wash Fill Dock é bastante grande, trambolhudo. Se você não tem espaço suficiente para algo desse tamanho no canto da sua sala, por exemplo, é melhor optar pela versão Plus ou até mesmo pela tradicional, só com a base de recarga mesmo.

Ah, e antes de passarmos pro próximo ponto, devo dizer que também estou bem satisfeito com a bateria (de 5.200mAh) do S7 MaxV Ultra. Houve uma vez em que aspirei a casa toda na potência máxima e ele terminou o trabalho ainda com 40% de bateria. O processo de recarga também é bem mais rápido do que o dos modelos que testei anteriormente, outro ponto positivo.

App

Aqui, mais uma bola dentro da Roborock. O app da empresa está muito bacana e bem resolvido, recheado de funções mas ainda assim mantendo a intuitividade.


Ícone do app Roborock
Roborock de Beijing Roborock Technology Co., Ltd.
Compatível com iPhones
Versão 3.1.24 (138.6 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR
Screenshot do app RoborockScreenshot do app RoborockScreenshot do app RoborockScreenshot do app RoborockScreenshot do app Roborock

Ao acessar a área do seu aspirador-robô, você vê no topo o estado de recarga com o nível atual da bateria, bem como a área e o tempo total da última limpeza — que fica traçada no mapa da sua casa.

Esse traçado, por si só, já funciona bem melhor do que eu estava acostumado no app da eufy. Às vezes, antes, ele “se perdia” e eu tinha que fechar e reabrir o app para ver de fato o traçado correto percorrido pelo robô. No app da Roborock, tudo funciona muito bem e ele leva apenas alguns segundos para puxar a informação atualizada do robô quando eu o abro depois de um tempo.

Na direita, podemos alternar entre os tipos de mapa (2D, 3D e Matrix — este último eu não cheguei a mostrar no meu vídeo, mas testei aqui e não me impressionei muito), editar divisões/superfícies, definir zonas interditadas e acessar a câmera. Embaixo, temos os três modos de trabalho: completo, por divisão ou por área — e, no ícone à direita, você determina a potência de aspiração e a intensidade de lavagem do mop.

Por fim, na área inferior do app temos dois grandes botões: um para iniciar/pausar a limpeza, e o outro para mandar o S7 MaxV Ultra de volta para a sua base. Simples, assim!

A única coisa que eu gostava mais no app da eufy é quando definimos múltiplas divisões para ele trabalhar. Antes, a ordem era exatamente a que eu ia tocando — faz todo o sentido, certo? No app da Roborock, você precisa ir numa área separada para definir a sequência de limpeza — o que eu acho mais trabalhoso e chato, porque nem sempre eu quero que ele siga essa mesma ordem.

Nos ajustes, também não faltam opções para gerenciar mapas, programações (por hora, dia e semana), configurações do ReactiveAI, vozes, visualização e controle remoto, histórico de limpeza, toda a área de manutenção, atualizações de firmware, compartilhamento do dispositivo (sim, minha esposa também tem acesso a tudo pelo app no iPhone dela) e afins.

Obviamente, no topo do S7 MaxV também dispomos de alguns botões físicos para uso convencional: limpeza local, liga/desliga e retornar à base. Você pode apertar qualquer um deles para pausar uma determinada tarefa que ele estiver executando, e depois para retomá-la.

Atalhos da Siri

Muitos podem não saber, mas até hoje o HomeKit não suporta, isto é, não está preparado para aspiradores-robô. Ou seja, você não encontrará nenhum modelo no mercado com suporte a isso.

O que a Roborock fez, aqui, foi nos oferecer um nível de integração com o iPhone que basicamente proporciona uma das melhores coisas que poderíamos ter via HomeKit, que são comandos de voz para o S7 MaxV Ultra criados a partir de Atalhos da Siri.

A configuração deles pelo app é bastante simples: você escolhe uma determinada ação (tipo fazer uma limpeza de divisão da sala) e, depois, grava o comando de voz que gostaria de usar para tal. E você pode fazer isso para vários deles.

Feito isso, pelo seu iPhone ou Apple Watch, você pode comandar o S7 MaxV Ultra usando a Siri: “aspirar o escritório”, “fazer uma limpeza completa da casa”, “pausar a aspiração”, “retornar à base”, etc. E eu tenho usado isso demais, é bem bacana!

Conclusão

No meu penúltimo review de um aspirador-robô, sugeri que os interessados num produto desses ou optassem por um modelo bem básico e barato (como o eufy RoboVac 11S), ou pulassem direto para um topo-de-linha — na minha opinião, os intermediários às vezes adicionam certos recursos que não fazem tanta diferença assim e acabam mais por só encarecer a compra.

Conforme coloquei no título deste review, o S7 MaxV Ultra está num patamar acima do que eu considerava topo-de-linha e toda a sua combinação de recursos me fizeram usá-lo com muito mais frequência do que eu estava acostumado até aqui.

Ainda assim, minha opinião permanece a mesma e acho que um aspirador-robô hoje em dia é um must-have especialmente para quem não dispõe de um(a) profissional para limpar a sua casa — ou escritório também, é claro.

O Roborock S7 MaxV Ultra é muito caro (cerca de US$1.400), mas a meu ver nada incorporado a ele que fez o seu preço subir foi à toa. Há claros diferenciais aqui e tecnologias muito futurísticas que fazem o seu preço valer a pena, para quem estiver disposto a um investimento dessa magnitude em um aspirador-robô. Mal posso esperar para continuar acompanhando a evolução desses dispositivos!

O produto está à venda pelo próprio site da Roborock, bem como pela lojinha da empresa dentro da Amazon americana. Vale a pena, também, conferir o restante de modelos da linha atual da Roborock.

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão de vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

"Gutsy", série do Apple TV+ com Hillary e Chelsea Clinton, estreará em 9 de setembro

Próximo Artigo
Pessoa usando o MacBook Air com M2 no Steve Jobs Theater do Apple Park (WWDC22)

MacBook Air (M2) de 256GB também tem SSD mais lento

Posts Relacionados