O melhor pedaço da Maçã.

Twitter Blue será relançado hoje com novos preços e rótulos de verificação

DVKi / Shutterstock.com
Twitter na App Store de um iPhone

O Twitter Blue, serviço de assinatura da rede que vem sendo alvo de diversas mudanças desde a ascensão de Elon Musk, está sendo relançado hoje após uma série de críticas relacionadas às mudanças propostas pelo bilionário e à falta de percepção de valor do serviço desde o seu lançamento.

Publicidade

A partir de hoje, como previsto, o preço da assinatura passa a ser de US$8 por mês se assinado pela web, ou US$11 mensais se assinado via iOS e iPadOS.

A assinatura garante ao usuário optante pelo serviço a possibilidade do selo de verificação (se aprovado), edição de tweets, prioridade no topo das réplicas, menções e resultados de busca (em breve), visibilidade de apenas 50% das impressões de anúncios (em breve), a possibilidade de publicação de vídeos mais longos e em 1080p de resolução (em breve), acesso antecipado a novidades que o Twitter venha a testar para os novos recursos da rede, e mais.

Duas formas de verificação

Depois de uma série de propostas sugeridas para o processo de verificação, o Twitter oficializou que, além do selo azul que acompanha o nome do perfil e pode ser obtido com a assinatura do Twitter Blue a partir da confirmação de um número de telefone, os usuários também terão um rótulo colorido para a categorização de determinadas contas oficiais que acompanhará o selo, substituindo a etiqueta cinza de conta “Oficial”, até então em vigor.

Publicidade

O rótulo será disponibilizado em três cores: dourado para a categoria de negócios e cinza, a ser implementada até o fim desta semana, para governos e contas multilaterais.

A mudança vê a luz do dia após Musk ter declarado guerra a trolls, bots e perfis falsos que serão derrubados regularmente a partir de hoje, fora mais de um bilhão e meio de contas sem atividade que serão desativadas.

Outra mudança importante é que, se um usuário verificado alterar o seu nome e/ou arroba, perderá o selo azul temporariamente até que seja verificado novamente pela equipe do Twitter.

E o Brasil? E Portugal?

Por ora, o Twitter Blue continuará disponível oficialmente em apenas cinco localidades: Austrália, Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia e Reino Unido. No entanto, em resposta a um usuário da rede social, Esther Crawford — chefe de produto do Twitter — afirmou que o primeiro passo do desenvolvimento do Twitter Blue é o lançamento dos recursos principais, citados acima, e que o segundo será a ampliação das regiões onde o modelo de assinatura poderá ser comprado.

Vale lembrar que qualquer um pode assinar o Twitter Blue a partir do site, pelo preço americano de US$8 mensais. Porém, fica o aviso de que a cobrança será em dólar, ou seja, sem equiparação para o real brasileiro ou euro até que a assinatura seja comercializada nos demais países.

Publicidade

Nosso colaborador Vinícius Porto conseguiu chegar a uma tela do serviço indicando que os tais US$8 mensais poderão equivaler a R$60, por aqui:

Aumento de caracteres

Em resposta a um usuário do Twitter, Musk também confirmou que o Twitter está trabalhando em uma mudança histórica para a proposta da rede social: o aumento de 280 para até 4.000 caracteres por tweet, como divulgado antecipadamente pelo pesquisador Alessandro Paluzzi.

A novidade, que desagradou a muitos dos usuários saudosistas da rede social, também foi motivo de elogios, dividindo opiniões. É importante lembrar que o Twitter se popularizou como uma rede social de microblog justamente pela quantidade inicial desafiadora de até 140 caracteres por publicação, que anos depois, em 2017, evoluiu para 280, como permanece até hoje, provocando uma crise de identidade absoluta nos usuários bem acostumados às expressões sintetizadas.

A proposta não é inteiramente nova, ou uma ideia de Musk, apesar de seu endosso contra capturas de telas de blocos de notas com reflexões e devaneios que vão além da contagem atual, como também vemos compartilhadas em outros canais sociais como o Instagram. A empresa já considerava o chamado “Twitter Notes” desde o primeiro semestre de ano: um espaço dedicado na rede para a publicação de textos mais longos do que 280 caracteres.

A novidade é a inserção do aumento de caracteres nas publicações principais da rede social, o que pode ser fundamental para criadores de conteúdo e canais de mídia impulsionarem seu trabalho, fortalecendo o Twitter enquanto o canal de conteúdos e notícias que é. Ainda não foi estabelecido se os tweets mais longos serão abertos a todos os usuários ou oferecidos como diferencial do Twitter Blue.

O designer Basic Apple Guy fez um mockup para ilustrar visualmente a diferença de um tweet com 140, 280 e 4.000 caracteres:

Em 2017, uma reportagem do The Wrap destacou que o Twitter havia percebido que tweets com 280 já orientavam mais engajamento (curtidas, réplicas e retweets) do que as publicações mais curtas, apesar de que a mudança não fora incentivada por esta intenção.

Agora, nos resta saber como os usuários da rede irão reagir a tweets ainda mais longos.

Community Notes em todo o mundo

Outra novidade de hoje é que as Community Notes do Twitter, antes conhecidas como Birdwatch, estão se expandindo para o mundo todo.

O recurso serve para que os próprios usuários do Twitter, em comunidade, ajudem a lutar contra fake news fazendo verificações e alertas sobre tweets com mentiras e/ou fatos distorcidos.

Alguns tweets do próprio Musk já foram “corrigidos” dessa forma.


Ícone do app X
X de X Corp.
Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple TV
Versão 10.29 (254.7 MB)
Requer o iOS 15.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

Ícone do app Twitter
Twitter de X Corp.
Compatível com Macs
Versão 9.30 (146.8 MB)
Requer o macOS 11.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na Mac App Store Código QR Código QR

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: Este é um artigo editorial do MacMagazine que foi posteriormente modificado com a inserção de um ou mais links publicitários.

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Podcasts: como alterar o comportamento de controles externos [iPhone, iPad e Mac]

Próx. Post

Modelos inéditos de Macs aparecem em lista do Steam

Posts Relacionados