O melhor pedaço da Maçã.

Apple TV+: “Killers of the Flower Moon” teria orçamento de US$250 milhões

Novas informações da Bloomberg dão conta de que a Apple teria investido algo em torno de US$200-250 milhões na superprodução “Assassinos da Lua das Flores” (“Killers of the Flower Moon” ), a qual está marcada para estrear nos cinemas na próxima sexta-feira (20/10).

Publicidade

Boa parte desse montante — mais especificamente US$25 milhões — teria ido apenas para o cachê de uma das estrelas do filme — que, por sua vez, é dirigido pela lenda do cinema Martin Scorsese —, o legendário Leonardo DiCaprio (“O Lobo de Wall Street”). O elenco da produção, vale lembrar, também conta com nomes fortes de Hollywood como Robert De Niro (“Touro Indomável”) e Lily Gladstone (“Certas Mulheres”).

Baseado no livro homônimo de David Grann, lançado em 2017, “Killers of the Flower Moon” se passa na década de 1920, em Oklahoma (Estados Unidos), e conta a história dos assassinatos em série de membros da nação indígena Osage, cuja terra era rica em petróleo. Esse verdadeiro genocídio ficou conhecido como o Reino do Terror e foi o caso que deu origem ao FBI.

Esses valores são o suficiente para tornar a produção o projeto mais caro já financiado pelo Apple Studios nos seus quatro anos de existência. Tal investimento, porém, parece ter surtido efeito, já que o filme foi extremamente elogiado no Festival de Cinema de Cannes no início do ano e tem tudo para figurar entre os indicados da próxima edição do Oscar.

Publicidade

Ainda segundo o veículo, porém, a gastança da Maçã não parará por aí. A ideia da gigante de tecnologia é investir cerca de US$1 bilhão por ano em filmes que vão estrear primeiro em cinemas para depois aterrissar no Apple TV+. Até o momento, três filmes seguirão essa estratégia de lançamento — o que inclui, além de “Killers of the Flower Moon”, “Napoleão” e “Agente Argylle”.

Embora incomum na era dos serviços de streaming, essa estratégia busca convencer cineastas que insistem em um lançamento teatral para as suas obras a fecharem acordos com a Apple. Quem topar trabalhar com a Maçã terá o seu projeto inteiro financiado pela empresa, que se comprometerá a lançá-lo no Apple TV+ apenas 45 dias após a sua chegada aos cinemas. Em contrapartida, a produção será divulgada como um “filme original Apple”.

Esse “atraso” entre o lançamento teatral dos filmes e sua estreia no Apple TV+ com certeza fará gigante Cupertino perder alguns milhões de dólares nas primeiras semanas de exibição do filmes, mas é bem possível que ajude a estabelecê-la como a financiadora de grandes produções do cinema mundial.

Publicidade

Aguardemos, portanto.

O Apple TV+ está disponível no app Apple TV em mais de 100 países e regiões, seja em iPhones, iPads, Apple TVs, Macs, smart TVs ou online — além também estar em aparelhos como Roku, Amazon Fire TV, Chromecast com Google TV, consoles PlayStation e Xbox. O serviço custa R$21,90 por mês, com um período de teste gratuito de sete dias. Por tempo limitado, quem comprar e ativar um novo iPhone, iPad, Apple TV, Mac ou iPod touch ganha três meses de Apple TV+. Ele também faz parte do pacote de assinaturas da empresa, o Apple One.


Ícone do app Apple TV
Apple TVde Apple
Compatível com iPadsCompatível com iPhones Compatível com o Apple Vision Pro
Versão 1.8 (790.5 KB)
Requer o iOS 10.2 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App StoreCódigo QR Código QR

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão sobre vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Apoiada pela Apple, lei de Direito ao Reparo é sancionada na Califórnia

Próx. Post

Apps de edição e outros agora podem publicar vídeos diretamente no TikTok

Posts Relacionados