O melhor pedaço da Maçã.

Documento mostra detalhes sobre a tentativa de venda do Bing para a Apple

Casimiro PT / Shutterstock.com
Bing no Safari

A “quase” (que de quase parece não ter nada) venda do Bing para a Apple continua sendo um dos tópicos do caso antitruste que o Google vem enfrentando nos Estados Unidos. Em um novo documento [PDF] apresentado pela subsidiária da Alphabet, foram revelados mais detalhes sobre essa empreitada da Microsoft.

Publicidade

De acordo com o documento, a companhia comandada por Satya Nadella teria posposto à Apple, em 2018, a venda do Bing ou o estabelecimento de uma joint venture relacionada ao buscador. Eddy Cue, vice-presidente sênior de serviços da Apple, explicou na época por que a compra não rolou.

Para ele, a qualidade de pesquisa do Bing não era tão boa e a Microsoft não estava investindo à altura no buscador como poderia investir — ou em um nível comparável ao do Google. “E a organização de publicidade deles e como eles monetizam também não era muito boa”, disse o executivo.

Essa fala coincide com a própria declaração dada por Cue em depoimento no julgamento recentemente. Na ocasião, ele afirmou que a Apple nunca considerou seriamente a troca para outro provedor ou um mecanismo de busca proprietário, enfatizando que não havia (e não há) uma alternativa válida ao Google.

Publicidade

O documento atual, inclusive, mostra que não faltaram tentativas por parte da Microsoft para mudar esse cenário. A empresa teria contatado a Apple em 2009, 2013, 2015, 2016, 2018 e 2020 para convencer a Maçã a tornar o Bing o navegador padrão do Safari — sempre com recusas da concorrente.

“Em cada caso, a Apple deu uma olhada na qualidade relativa do Bing versus o Google e concluiu que o Google era a escolha padrão superior para seus usuários do Safari. Isso é competição”, argumenta o Google, que enfrenta a acusação de abusar do seu poder como buscador no mercado americano.

Que imbróglio, não?


Ícone do app Bing: Conversa IA & GPT-4
Bing: Conversa IA & GPT-4 de Microsoft Corporation
Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 28.1.420326001 (276.3 MB)
Requer o iOS 15.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

via CNBC

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Netflix oficializa fim do suporte para pagamentos via App Store

Próx. Post

Kaspersky desenvolve utilitário para encontrar softwares espiões no iPhone

Posts Relacionados