O melhor pedaço da Maçã.

Apple TV+ estaria planejando remunerar criadores pela audiência de séries

Tim Cook apresenta o Apple TV+

O Apple TV+ foi lançado há mais de quatro anos, mas pode ser considerado um dos “caçulas” entre os serviços de streaming existentes. Ainda assim, a plataforma possui uma vantagem em relação a muitos concorrentes: o fato de simplesmente estar atrelada à Maçã.

Publicidade

Isso porque, segundo uma reportagem do The Ankler, o pico de investimento em streaming parece ter sido alcançado, de modo que cada empresa estaria reavaliando o que exatamente funciona — ou seja, quais produções devem ser renovadas/encomendadas, bem como seus relacionamentos com os criadores.

Nesse âmbito, a Apple sofre menos pressão do que outras empresas — como Netflix e Disney — graças ao seu caixa volumoso. Ainda assim, a companhia pretende rever a remuneração que concede aos criadores do seu serviço de streaming, de modo a conversar com produtores e agentes sobre uma potencial estrutura de um novo acordo para suas futuras criações originais.

De acordo com as informações, o que a Apple estaria propondo é uma nova estrutura de remuneração baseada na audiência. Atualmente, todas as séries recebem a mesma remuneração de acordo com sua duração, independentemente da audiência.

Publicidade

Assim, atualmente uma série renovada para uma segunda temporada recebe a mesma porcentagem de remuneração de uma série que está em sua segunda temporada, sob os contratos atuais.

Desse modo, o possível novo acordo de remuneração vinculado ao sucesso de uma produção seria “um esforço para se alinhar melhor com o que o público deseja”. Idealmente, isso aumentaria os pagamentos para séries que atraem espectadores, incentivando criadores e produtores a produzir conteúdos de maior qualidade.

Já a Apple também poderia se beneficiar de uma maior flexibilidade, possibilitando o lançamento de novas temporadas de alguns dos seus programas menos populares — sem sobrecarregar o seu orçamento geral. Ela também poderia arriscar mais em projetos mais ousados, o que certamente é o mais interessante para os assinantes.

Publicidade

Ainda que alguns especialistas do setor acreditem que a Apple está simplesmente tentando encontrar uma maneira de reduzir seus custos, o The Ankler garante que até agora as negociações da Apple com agentes e produtores estão progredindo. Resta saber como isso, caso consolide-se, afetará a dinâmica de criações da empresa.

O Apple TV+ está disponível no app Apple TV em mais de 100 países e regiões, seja em iPhones, iPads, Apple TVs, Macs, smart TVs ou online — além também estar em aparelhos como Roku, Amazon Fire TV, Chromecast com Google TV, consoles PlayStation e Xbox. O serviço custa R$21,90 por mês, com um período de teste gratuito de sete dias. Por tempo limitado, quem comprar e ativar um novo iPhone, iPad, Apple TV, Mac ou iPod touch ganha três meses de Apple TV+. Ele também faz parte do pacote de assinaturas da empresa, o Apple One.


Ícone do app Apple TV
Apple TVde Apple
Compatível com iPadsCompatível com iPhones Compatível com o Apple Vision Pro
Versão 1.8 (790.5 KB)
Requer o iOS 10.2 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App StoreCódigo QR Código QR

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão sobre vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

via 9to5Mac

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Arc Search ganha busca por voz, novos widgets e opções para abas no iOS

Próx. Post

Apple fatura US$91 bilhões no 2º trimestre fiscal de 2024 [atualizado]

Posts Relacionados