O melhor pedaço da Maçã.
Koshiro K / Shutterstock.com
Página da Siri em um iPhone

Siri poderá realizar ainda mais ações em apps (e até em sequência) com IA no iOS 18

Corroborando informações divulgadas mais cedo sobre as melhorias que a Siri receberá, o jornalista Mark Gurman (da Bloomberg) detalhou em uma nova reportagem como a Apple está planejando reformular a sua assistente com a ajuda dos avanços mais recentes em inteligência artificial.

Publicidade

Segundo ele, a Siri será o foco principal das novidades que serão apresentadas na keynote da WWDC24 — de modo que, já no iOS 18, a assistente poderá assumir, pela primeira vez, o comando de todos os recursos de aplicativos.

Assim, o novo sistema permitirá que a Siri controle os dispositivos com mais precisão — incluindo a possibilidade de abrir documentos individuais, mover uma nota para outra pasta, enviar ou excluir um email, abrir publicações específicas no Apple News, enviar um link da web por email ou até mesmo solicitar ao dispositivo o resumo de um artigo.

Ainda segundo ele, os novos sistemas usarão IA para analisar o que as pessoas estão fazendo em seus dispositivos e ativar automaticamente recursos controlados pela Siri. Isso, a princípio, será limitado aos próprios aplicativos da Apple, com a empresa planejando oferecer suporte a centenas de comandos diferentes.

Publicidade

Além disso, a Siri inicialmente lidará com um comando de cada vez, mas a Apple tem planos de permitir que os usuários encadeiem comandos — de modo, por exemplo, a pedir à assistente que resuma uma reunião gravada e, em seguida, envie uma mensagem de texto a um colega de uma só vez.

Gurman apontou, porém, que o recurso é uma das iniciativas de IA “mais complexas” da Apple, de modo que o seu lançamento não ocorrerá neste ano, apenas no próximo — em uma atualização subsequente do iOS 18 (quem sabe um iOS 18.3 ou 18.4?). Uma outra ferramenta importante dos próximos sistemas é uma função que usará IA para determinar automaticamente se um recurso deverá ser controlado no dispositivo ou por meio da nuvem.

Isso levantou algumas questões de privacidade, mas Gurman destacou que as informações serão protegidas pela Secure Enclave dos chips M2 Ultra que alimentarão os servidores de IA da Apple. Ademais, a Apple tentará garantir ainda mais aos clientes que seus dados são privados, criando um tipo de relatório que explica como as informações dos usuários são protegidas.

Por fim, como podemos imaginar, muitos dos recursos de IA que serão executados nos dispositivos poderão exigir pelo menos o chip A17 Pro, no caso dos iPhones; enquanto isso, Macs e iPads precisarão de pelo menos um chip M1, segundo Gurman.

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Aqara lança controlador de cortinas com suporte ao Matter e automatizações

Próx. Post

Segunda temporada de “Pachinko” estreará em 23 de agosto no Apple TV+

Posts Relacionados