O melhor pedaço da Maçã.

Destaques de maio no MM: novos iPads, OpenAI, “iPhone 17 Slim” e mais!

Finalmente, após meses de marasmo, tivemos um mês repleto de novidades no mundo Apple! E por novidades, eu quero dizer, é claro, lançamentos!

Publicidade

Com o evento especial “Basta imaginar” (“Let loose”), o qual aconteceu no início do mês passado, a Apple finalmente revelou as cartas que tinha nas mangas para reviver a sua linha de iPads — que estava bem esquecida, tendo visto 2023 inteiro se passar sem nenhuma atualização.

Mas é claro que isso não é tudo o que temos para falar de maio, como discorrerei nos parágrafos a seguir.

Novos iPads Air

Após meses de especulações, a Apple finalmente anunciou a chegada da mais nova geração do iPad Air. O principal? Desta vez, além do modelo tradicional com tela de 11 polegadas, tivemos a adição de um modelo maior, com 13″.

Publicidade

Fora isso, não há muitas mudanças em relação à geração anterior, além de que agora os modelos são equipados com o chip M2 — contra o M1 da geração anterior —, câmera frontal ultra-angular de 12 megapixels reposicionada para a lateral mais longa dos tablets (modo paisagem), suporte ao recurso Cursor do Apple Pencil (Apple Pencil hover) e adição do padrão Wi-Fi 6E.

As diferenças entre os modelos de 11″ e 13″ são mínimas, também. No quesito telas, enquanto o modelo maior oferece um brilho SDR 1Standard dynamic range, ou alcance dinâmico padrão. máximo de 600 nits, o modelo menor alcança somente 500 nits. E no quesito áudio, o modelo de 13″ consegue entregar o dobro de graves em relação ao menor (modo paisagem).

Na parte de acessórios, temos uma notícia boa e uma ruim. A boa é que os novos modelos já são compatíveis com o Apple Pencil Pro (do qual discorrerei mais a frente). A ruim é que ambos são compatíveis apenas com a geração anterior do Magic Keyboard — provavelmente por conta das novas dimensões e disposição dos ímãs dos acessórios, os quais são focados agora apenas no público profissional.

Publicidade

Quando o assunto é acabamento, temos as mesmas cores nada vibrantes da geração anterior, mas dessa vez ainda mais insossas e sem a opção de rosa. São elas: cinza-espacial, estelar, roxa e azul.

A boa notícia é que os modelos já estão à venda no Brasil, com valores partindo de R$7.000 (R$6.299,10 à vista) e R$9.500 (R$8.549,10 à vista), para os modelos de 11″ e 13″, respectivamente.

iPads Pro com chip M4

Passando para o carro-chefe do evento, a Maçã introduziu a sua mais ambiciosa geração de iPads Pro. E não digo isso apenas por conta do polêmico comercial que assombrou seu lançamento, mas pela promessa do que o chip M4 — apresentado pela primeiríssima vez em um iPad — promete desbloquear.

Publicidade

O chip M4 realmente parece fenomenal, além de trazer melhorias no Neural Engine no que tange recursos de inteligência artificial, conta com um desempenho 50% melhor e gráficos 4x melhores que o M2, da geração anterior.

Além disso, é também a eficiência energética desse novo chip que tornou possível a implementação da espessura ultrafina do qual a empresa vem tanto se gabando nesses novos iPads. Enquanto o modelo de 11″ tem 5,3mm de espessura, o modelo de 13″ chega a incríveis 5,1mm — o que o torna o produto Apple mais fino de todos os tempos.

Porém, toda essa finura não é advinda apenas do chip M4, mas também à nova tecnologia de tela introduzida pela Apple, já que esses aparelhos trazem pela primeiríssima vez em qualquer iPad uma tela com tecnologia OLED 2Organic light-emitting diode, ou diodo emissor de luz orgânico..

E, já que ela não se trata de uma tela OLED tradicional, a Apple resolveu nomear esse novo display de Ultra Retina XDR. Segundo a empresa, para alcançar o brilho de tela desejado para seus tablets topo-de-linha, ela precisou desenvolver um novo display usando dois painéis OLED em conjunto — uma tecnologia conhecida como tandem OLED — a qual combina a luz de ambos painéis para fornecer um brilho ainda maior.

Dessa forma, os novos modelos atingem até 1.000 nits de brilho em tela cheia em conteúdos SDR e até 1.600 nits de brilho máximo para conteúdos HDR.

Dentre outras novidades, também temos o realocamento da câmera frontal ultra-angular de 12MP para o lado mais longo do aparelho, uma câmera traseira melhorada com flash True Tone adaptável (para melhor digitalização de documentos) e a opção de uma nova opção de vidro fosco (nano-texture), mas só nos modelos de 1TB e 2TB de armazenamento.

Esses novos modelos estão disponíveis nas cores prateada (silver) e preta-espacial (space black), com opções de armazenamento de 256GB, 512GB (os quais contam com 8GB de memória), 1TB e 2TB (com 16GB de memória e um núcleo a mais de CPU 3Central processing unit, ou unidade central de processamento.).

Os preços partem de R$12.300 (ou R$11.069,10 à vista) e R$15.900 (ou R$14.309,10 à vista), para os modelos de 11″ e 13″, respectivamente — também já à venda no Brasil.

Novos acessórios

A Apple também aproveitou a oportunidade para atualizar sua linha de acessórios para iPads.

Começando pelo novo Magic Keyboard (compatível somente com os novos iPads Pro), ele traz uma construção em alumínio, mais leve e fina, ganhou um trackpad maior e uma fileira de teclas de função. O novo acessório já está à venda no Brasil a partir de R$3.300.

A clássica Smart Folio também foi atualizada para os novos modelos, contando agora com múltiplos ângulos de apoio, o que traz muito mais flexibilidade de uso, além de novas cores. Também já à venda no Brasil, elas saem por R$900 e R$1.100, para os modelos de 11″ e 13″, respectivamente.

Em termos de acessórios, o maior update foi, sem sombra de dúvidas, o Apple Pencil Pro. O novo lápis topo-de-linha veio cheio de novidades em relação ao modelo de segunda geração, incluindo feedback tátil (permitindo que usuários sintam uma vibração ao apertar o lápis e interagir com ferramentas dentro de apps), um sensor de pressão na lateral (para ativar determinadas tarefas), além de um novo giroscópio (que lhe permite girar o lápis para controlar pincéis e outras ferramentas com mais precisão em apps de criatividade) e compatibilidade com a rede Buscar (Find My).

O novo Apple Pencil, porém, só é compatível com os novos modelos de iPads Pro e Air, e também já está à venda no Brasil, custando R$1.500.

A Apple, por fim, desembaraçou ainda mais o nó da sua linha de iPads, descontinuando o iPad de 9ª geração (sim, adeus botão de Início) e reduzindo o preço do iPad de 10ª geração para R$4.000 no Brasil (ou US$350 nos Estados Unidos).

Bug do iOS 17.5

Pode ser que não tenha acontecido com você, mas diversos usuários relataram no Reddit um bug muito estranho ocorrendo com seus aparelhos após a instalação do iOS/iPadOS 17.5, que se tratava do reaparecimento de fotos anteriormente apagadas de volta à seção “Recentes” do aplicativo Fotos (Photos).

A Apple, no entanto, correu para resolver o problema e, alguns dias depois, liberou uma atualização para os seus sistemas corrigindo o problema. Portanto, sugiro fortemente que você atualize logo seus aparelhos para o iOS/iPadOS 17.5.1, e repasse essa recomendação a amigos e parentes. 😉

Apple teria fechado acordo com a OpenAI

Engana-se quem achou que passaríamos um post de destaques do mês sem nenhuma pauta relacionada a inteligência artificial.

Depois de muitas negociações, parece que Apple e OpenAI estão finalmente finalizando os termos para um contrato que levará os modelos de inteligência artificial generativa (ChatGPT) ao iOS 18 e a outros sistemas operacionais da Maçã.

Conforme já falamos diversas vezes, espera-se que os novos sistemas venham repletos de novidades pautadas em IA, incluindo uma Siri mais conversacional, resumos inteligentes de notificações e sites, melhorias para os apps Mail, Fotos, Fitness e Notas (Notes), novidades envolvendo o Safari e até emojis personalizados em tempo real baseados no conteúdo das mensagens.

Com todas essas novidades, é esperado que algumas delas sejam realizadas usando o poder computacional dos próprios aparelhos, enquanto outras serão relegadas à nuvem — com as ajuda de chips M2 Ultra presentes em data centers da empresa.

Tudo isso, é claro, sem perder de vista o seu discurso pró privacidade, com a previsão de que a Maçã enfatizará que não criará perfis de usuários, como fazem seus concorrentes Meta e Google, e também certificará a segurança dos chips usados nos seus servidores.

É claro que nada é oficial até que seja anunciado, tanto que, quando procuradas, ambas as empresas preferiram não comentar o assunto. Inclusive, ainda há a possibilidade da Maçã firmar um outro acordo com o Google, para oferecer o Gemini como alternativa ao ChatGPT em seus sistemas.

“iPhone 17 Slim”

Finalizando a nossa rodada de rumores, já temos informações preliminares do que esperar para a linha de iPhones do ano que vem.

Segundo o analista Jeff Pu, a Apple estaria em vias de reformular a sua linha de iPhones com um modelo “Slim”, o qual viria para substituir o iPhone Plus mas seria posicionado acima do Pro Max — sendo, assim, o novo topo-de-linha da empresa.

O analista não deu muitas informações sobre ele, mas o sufixo “Slim” indicaria que o modelo seria consideravelmente mais fino que os outros. Segundo rumores, ele teria uma construção em alumínio “mais complexa”, assim como o “iPhone 17” e o “iPhone 17 Pro”, enquanto o “iPhone 17 Pro Max” continuaria com sua carcaça em titânio — algo que não faz sentido, sendo considerado um material mais premium.

Outra mudança importante nesse suposto aparelho seria o reposicionamento da câmera traseira do canto superior esquerdo para a parte superior central — o que seria uma grande ruptura de design para a linha.

Dentre outras mudanças estaria o tamanho de tela, o qual o analista Ross Young acredita que será em torno de 6,55″ — algo entre o iPhone de entrada e o modelo Pro Max.

De qualquer modo, rumores indicam que a Apple pretende realizar um upgrade significativo na sua linha de smartphones em 2025, tal como fez em 2017 com o lançamento do iPhone X. Agora é aguardar para ver se esses planos vão mesmo se realizar.


E aí, acha que faltou alguma notícia importante do último mês por aqui? Nos conte aí nos comentários e fique ligado aqui no MacMagazine, pois junho será repleto de novidades no mundo Apple!

Notas de rodapé

  • 1
    Standard dynamic range, ou alcance dinâmico padrão.
  • 2
    Organic light-emitting diode, ou diodo emissor de luz orgânico.
  • 3
    Central processing unit, ou unidade central de processamento.

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

A segunda chance do visionOS

Próx. Post

Como classificar e avaliar um título no app Livros [iPhone, iPad e Mac]

Posts Relacionados