Samsung rouba(?) o 1º lugar da Apple em pesquisa da J.D. Power sobre satisfação de usuários de tablets [atualizado 2x]

Há pouco tempo nós divulgamos a famosa pesquisa de satisfação semestral da J.D. Power sobre smartphones, na qual a Apple fez bonito novamente (pela décima vez seguida). Hoje, a associação liberou o estudo referente a tablets e, surpreendentemente, a Samsung roubou o primeiro lugar da Maçã.

Estudo da J.D. Power sobre a satisfação de usuários com tablets

Conforme podemos ver no gráfico, a sul-coreana marcou 835 pontos, 2 a mais que a Apple (833 pontos). Elas foram as únicas que conseguiram uma pontuação “entre as melhores” do público — Amazon e ASUS levaram a nota “na média” (826 e 821 pontos, respectivamente), enquanto a Acer ficou abaixo da média do estudo (821 pontos), marcando apenas 781 pontos.

Como disse, a pesquisa é realizada duas vezes por ano e, em abril, quando a primeira de 2013 foi realizada, a Maçã ficou muito à frente da Samsung (836 contra 822 pontos).

O estudo foi baseado em experiências de 3.375 proprietários de tablets que possuem seus dispositivos atuais há menos de um ano. Tudo foi realizado entre março e agosto de 2013, e o foco da pesquisa foi medir a satisfação de cinco fatores-chave (nesta ordem de importância): desempenho (26%), facilidade de operação (22%), estilo e design (19%), recursos (17%) e custo (16%).

Trata-se de uma grande derrota para a Apple, que costuma sempre bater nas teclas “satisfação de usuários” e “market share de uso real do produto” para promover e mostrar o quanto o iPad é melhor que os tablets da concorrência. Para os mais interessados, o estudo completo da J.D. Power pode ser visto neste link [PDF].

[via MacRumors]

Atualização · 31/10/2013 às 21:11

Parece que “tem caroço nesse angu”. Deem uma olhada na tabela abaixo:

Estudo da J.D. Power sobre a satisfação de usuários com tablets

Como podemos ver, as notas para os tablets das marcas seguem a ordem de importância do estudo (desempenho, facilidade de operação, estilo e design, recursos e custo). A Apple recebeu nota máxima em todos os pontos com exceção de custo, que é o menos importante. Já a Samsung não conseguiu nota máxima em nenhum dos quesitos e, ainda assim, conseguiu uma pontuação superior à da Apple.

Nos comentários do post que cobre o assunto no The Verge logo surgiu a seguinte tabela:

Peso/relevância Samsung Apple
Performance 0,26 3 5
Facilidade de uso 0,22 3 5
Estilo e design 0,19 4 5
Recursos 0,17 4 5
Preço 0,16 4 2
Total 1 3,52 4,52

Como esse cálculo influencia a pontuação geral (de 833 da Apple e 835 da Samsung), ninguém sabe, mas que está estranho, está. J.D. Power, a bola agora está com você.

[via The Loop]

Atualização II, por Rafael Fischmann · 01/11/2013 às 17:44

Como esperado, a J.D. Power confirmou ao TechCrunch que, de fato, a Samsung só superou a Apple em preço. Mas que a diferença foi tão significativa considerando todos os modelos de tablets oferecidos por ambas as empresas que acabou “compensando” todos os outros pontos.

Na avaliação da J.D. Power, a linha de tablets da Samsung vai desde o Galaxy Tab 3 7.0 (US$200) até o Galaxy Note 10.1 (2014 Edition) de 32GB (US$600), enquanto a da Apple engloba desde o iPad mini de 16GB (US$330) até o iPad de quarta geração com 64GB (US$700). Enquanto a Maçã cobra em média US$100 a mais para dobrar a capacidade de seus tablets, a fabricante sul-coreana adiciona apenas US$50 aos preços dos produtos.

Ainda assim, com essa justificativa, ficou feio.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.