O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

De graça, até injeção na testa! XXXII [atualizado]

scatter-20090303Terça-feira, um dia mágico no qual as coisas acontecem nos EU da A — não me pergunte o porquê, eu não faço ideia do que eles têm contra a segunda. Hoje vimos uma pá de atualizações de tudo em quanto, e teve até gente que disse que o passaralho (NSFW) ia fazer uma visita a Cupertino. (Nossa, isso soou mal!)

Publicidade

Em todo caso, as faixas gratuitas estão firmes e… eu ia dizer “fortes”, mas a coisa tá meio braba, hoje. Normalmente eu procuro ser o mais eclético possível, mas hoje não deu. Eu vou falar mal de gente, me desculpe: ao ouvir certas músicas, senti uma perturbação na Força, algo se perdeu em mim.

Pela primeira vez, eu tive vontade de quebrar o CD de alguém. Vamos às faixas?

Single of the Week

Carolina LiarToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda de que gostamos e a trazemos até você, gratuitamente, como nosso Single of the Week.

Você pode lembrar da banda Carolina Liar, de LA, por sua aparição em um episódio recente de 90210, especialmente sua performance de “Show Me What I’m Looking For”. Com produção de Max Martin (o mesmo de “Since U Been Gone”, da Kelly Clarkson) e Johan Schuster (co-autor de “So What”, da Pink), Carolina Liar está em boas mãos conforme “Show Me What I’m Looking For” se constrói com guitarras vigorosas, teclados e refrões para cantar junto. A voz de Chad Wolf se compara favoravelmente com a de Tom Chaplin, da Keane, enquanto o tempo crescente torna “Show Me What I’m Looking For” feita sob medida para uma cena na qual amantes tímidos se olham das extremidades de um corredor e correm em câmera lenta para se abraçarem.

Se você curtiu a faixa, dê uma sacada no álbum.

Você já conseguiu decorar o nome da faixa? Sim, pois enfiaram “Show Me What I’m Looking For” (link para a iTunes; iTunes Plus) três vezes na resenha acima. Putz… Ainda bem que a música em si é bem melhor que esse texto. Logo de cara, você pode achar que não tem muito o que esperar: a semelhança com o som da Keane é verdadeira, a música é quase um choro. Se os primeiros 30 segundos fossem a música toda, estaríamos perdidos, mas a coisa melhora, e MUITO! Admito ter ficado arrepiado com o que ouvi, mas reconheço que esta faixa é açucarada o bastante para ser considerada “felpuda”. Enfim, tirando isso e o fato de repetirem o título quase tanto quanto o pessoal da iTS na resenha, é um som que vale a pena garantir — principalmente porque, bem é de graça… E, para ouvir mais, lembre de passar pelo perfil dos rapazes no MySpace — é um dos mais bonitos que eu já vi. O site oficial da banda não tem muito o que ver, mas não posso deixar de falar dele. IMHO: 4/5 Sonzinho bom pra caramba, bem leve!

Love Your Way — Powderfinger

PowderfingerA Powderfinger é constituída por cinco membros: Bernard Fanning, John Collins, Ian Haug, Darren Middleton e Jon Coghill. Esta foi a formação da banda desde 1992. Seus membros frequentemente referem-se uns aos outros com pseudônimos parciais. Mais notavelmente John Collins e Jon Coghill, provavelmente para evitar confusão, são chamados de JC e Cogsy, respectivamente.

Powderfinger é altamente bem-sucedida na indústria fonográfica australiana, tendo recebido os principais prêmios do setor, no ARIA Music Awards, quinze (!) vezes.

[Adaptado da página sobre a banda na Wikipedia.]

Pode ser que não tenha ganho o título de Discovery Download, mas eu acho que estamos em boas mãos, com “Love Your Way” (link para a iTunes): este belo rock melódico (acho) vindo lá do outro lado do mundo é bastante recomendado para quem curte sons relaxantes, mas que não põem pra dormir. Não tenho o que dizer: com tanta estrada, os caras só podem mesmo saber o que estão fazendo. Poderia ser melhor, bem verdade, mas você não vai se decepcionar com este single — que, por sinal, é iTunes Plus de nascença. Não recomendo uma visita ao perfil deles no MySpace, pois só há uma música completa por lá, o resto são amostras que estavam indisponíveis. Se você for ao site oficial, fica a dica: só entre na versão em Flash se sua conexão for muito porreta! IMHO: 3/5 Som com ar de velho, feito para ser ouvido na estrada, começa ruim e melhora depois da metade.

Canción de la Semana

YomoToda semana, encontramos uma faixa de um artista ou banda que está na crista do sucesso e a trazemos até você, gratuitamente, como nossa Canción de la Semana.

Esta faixa da estreia em estúdio de Yomo, My Destiny, é um pedaço intenso de funk electro-reggaetón. Ela explode com synths afiadas a laser, entradas de batidas maciças e o vocoder ocasional para você poder praticar o robô. Esta faixa basicamente garante uma tomada de assalto completa na pista de dança. Demos as boas vindas à nova cara do reggaetón.

Se você curtiu a faixa, dê uma sacada no álbum.

Sinceramente? Não lhe demos boas vindas: mandemos o reggaetón para onde quer que ele não chegue aos meus ouvidos. Quando a Canción não é uma peça de latinidad estereotipada com Marias do [insira qualquer coisa aqui], cai sempre neste maldito gênero, que é que é isso? Estou de mal humor, esta faixa me deixou de mal humor, vou fazer que nem os jurados do American Idol. Não, não e não! “Tu Te Las Trae” (link para a iTunes; iTunes Plus) é uma prova de que reggaetón merece uma lei regulando seu uso: deviam proibir tanta música ruim sendo feita sob esta alcunha. Calo-me diante da única indulgência garantida a esta faixa: se você estiver dançando numa festa, coberto de suor e fazendo o robô, ela não soará tão ruim. Em todos os outros casos, vai ser uma tortura — mais que ouvir versão forró de Evanescence. Se quiser sofrer (mais), vá ao perfil do Yomo no MySpace, que é tão poluído que leva um tempão pra carregar. IMHO: 1/5 Só ouça na hora de dançar, e ainda assim com cautela!

Video of the Week

EvidenceMichael Perretta, mais conhecido como Evidence, é um artista norte-americano de hip hop, produtor e membro do grupo de rap Dilated Peoples. Evidence é natural de Venice, em Los Angeles, Califórnia, e é filho de pai italiano e mãe russo-americana. Antes de tornar-se um rapper e produtor, Evidence era um artista de graffiti.

[Retirado do artigo sobre ele na Wikipedia.]

E eu achava que o vídeo da semana passada tinha sido ruim… Perto disto, nem se compara! “For Whom the Bells Toll” (link fantasmagórico para a iTunes) me deixou ansioso para ver algo bom, pois um título irado desses (“por quem os sinos dobram”) só podia ter coisa boa! Ledo engano: quem vê cara, não vê coração. O que eu encontrei foi mais uma história triste de um rapper injustiçado… Nada contra, mas esta música é meio deprimente — e não “deprimente bom”, como Fever Ray, mas sim, tipo, “nada se salva”. Ou melhor, o refrão se salva, mas também, Will.i.am é covardia: o cara manda bem demais, porém não acho que justifique recomendar esta… coisa. De toda forma, se quiser saber mais das mazelas da vida de Evidence, vá ao perfil dele no MySpace. IMHO: 0/5 Nem pagando!

Publicidade

. . .

Espero, do fundo do meu coração, não ter ofendido ninguém, nem ter dado início a uma guerra de flames. Fico no aguardo de que a compensação cármica garanta na próxima semana uma leva de músicas melhores que estas. Se bem que, de quatro títulos, dois se salvaram com estilo: acho que estou reclamando de barriga cheia.

Até a próxima semana — isto é, se nenhum consumidor maluco revoltado com as atualizações de hoje resolver explodir o Infinite Loop. Sei lá, vai que alguém acabou de comprar um MacBook Pro unibody… 😛

Caso você não seja cadastrado na iTS norte-americana (e enquanto a loja daqui não abre), recomendo a leitura deste post.

Atualização (4/3/09 às 20hs): adicionado o link para versão iTunes Plus da “Show Me What I’m Looking For”.

[Dica do Gabriel, obrigado!]

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Carro avança e destrói loja de Macs nos Estados Unidos

Próximo Artigo

Pô, mano! Me dá o meu iPod aê!

Posts Relacionados