O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Vocês disseram e aqui está: o que ainda falta ao iPhone OS 4.0

Pessoal, a contribuição de vocês foi incrível nos comentários do post sobre o que falta ao iPhone OS 4.0 e via Twitter: valeu!

Publicidade

Várias sugestões que recebemos traziam pedidos por recursos de hardware. Enquanto as primeiras fotos desfocadas a Apple não mostrar o que o próximo iPhone trará, vamos deixar essa discussão na lista de afazeres. Além disso, muitos perguntaram de que adianta fazermos uma lista, se a Apple nunca ouve — e Jobs em pessoa já disse que “as pessoas não sabem o que querem”. Bem, é uma forma divertida de exercitar futurologia, não? 😉

Mas nem tudo o que queremos chega aos iGadgets, (in)felizmente(?). Por isso, selecionamos várias das suas sugestões e as dividimos em dois grandes grupos: prováveis e improváveis. Confira abaixo o que rolou e, se servir de inspiração, continue contribuindo nos comentários: daqui pra junho, tudo ainda pode mudar!

Provável

  • Rádio FM
  • Suporte a AVRCP (controlar volume pelo fone Bluetooth estéreo)
  • Edição de álbuns no Photos
  • Apagar mensagens/chamadas individualmente
  • Busca por números de telefone
  • Trava de orientação (software?)
  • Widgets (iPad)
  • Tela de bloqueio com informações
  • Home Screen em modo paisagem
  • Senha para desligar (ganha tempo pro Find My iPhone)
  • Live update para smart playlists (já haverá edição de playlists)
  • Video out para jogos/em resolução maior
  • Efeitos na gravação de vídeos
  • Regras/anexar arquivos direto do Mail
  • Filtro de chamadas (blacklist)
  • Busca por texto (Command + F) no Mobile Safari
  • Chamadas não atendidas: além de “Enviar SMS”, um botão “Chamar”

Algo que certamente está demorando até demais a aparecer é o suporte à sintonização de rádios FM — que pode parecer um requisito de hardware, mas o chip wireless dos iPods touch de terceira geração já suportaria tal funcionalidade, é só a Apple liberar. Outro recurso bastante aguardado nessa área limítrofe entre hard/software é a compatibilidade com perfis Bluetooth AVRCP, para permitir controles avançados sem fio.

Agora que o app Photos ganhou Faces e Places, algo que ainda falta é a possibilidade de editar álbuns — dado que listas de reprodução editáveis já estão a caminho (torçamos para haver live update pras smart playlists!), para o recurso estender-se a imagens é um pulo. E já que falamos de edição, poder apagar mensagens e chamadas individualmente seria uma boa — qualquer que seja a finalidade, né? 😉 Um sistema de blacklist (quem sabe integrado ao app contatos) deixaria muitas pessoas satisfeitas, também! E, quando uma ligação não for atendida, um botão de “Chamar” além do “Enviar SMS” faria todo o sentido. Turbinar o Spotlight com a capacidade de localizar um contato pelo número de telefone dele facilitaria a vida.

O iPad tinha um botão para acionar o modo silencioso, mas ele mudou de repente para uma trava de rotação da tela — o que fez um tremendo sucesso com os usuários. Será que o mesmo recurso chegaria aos gadgets menores da Apple? Uma solução de software seria provável, já que o iPhone precisa mesmo de um botão pro modo silencioso e o iPod touch… bem, digamos que ele ter controles de volume já é um milagre.

Vamos às imagens em movimento: o iPod nano grava vídeos com efeitos, por que o iPhone 3GS não pode?! E, aproveitando toda a força bruta do smartphone mais recente (e dos futuros), poder assistir a vídeos na telona, com uma função de video out aprimorada, seria o máximo. Será que rola 720p sem precisar mexer no hardware?

O Mail virou gente grande, mas ainda faltam umas coisinhas: poder anexar arquivos direto dele, sem precisar ir ao app que tem o documento em questão, é um passo lógico. Aproveitando o ensejo, ter o sistema de regras/filtros da sua versão no desktop é coisa necessária pra ontem! Já o Mobile Safari há tempos precisa de uma função de localizar texto na página (o bom Command + F).

Ao colocar um gadget em modo sleep, a tela que aparece mostra a hora e um wallpaper, ou, se estiver tocando algo, a arte de um álbum. Por que não usar o espaço para exibir informações importantes? Não precisaria de uma janela enorme, tirada do Windows Mobile, bastaria algo clean que chamasse a atenção. E, já que o gadget está bloqueado, seria bom que ele ficasse assim quando houvesse uma senha em efeito: requerê-la para desligar é uma camada de segurança que definitivamente combina com o Find My iPhone.

Nessa linha, widgets seriam muito bem-vindos ao iPad — e certamente os veremos, no final do ano: aquela tela de 9,7″ _grita_ por um Dashboard, sem falar que os apps que faltam à tablet entregaram o jogo. Por falar em iPad, já que ele tem uma Home Screen que fica em modo paisagem, bem que o iPhone/iPod touch também poderia.

Improvável

  • Liberação total do Bluetooth para se comunicar com outros celulares/transferência de arquivos
  • Arquivos compartilhados entre apps/modo de disco/downloads no Mobile Safari
  • Sincronização sem fio
  • Atualização da interface/Temas
  • Widgets (iPhone/iPod touch)
  • Despertador que funcione com o aparelho desligado
  • Rodar o Mac OS X
  • Flash/plugins
  • Sistema de configurações (Wi-Fi, Bluetooth, 3G, airplane) mais prático/ativação de serviços de localização direto de um app
  • Contatos interagindo com redes sociais
  • Apagar/ocultar apps que vêm de fábrica

Ícone esférico do BluetoothO Bluetooth do iPhone é “capado”, o que deixa muita gente frustrada; infelizmente, a tendência é que as limitações continuem, então não é bom contar com isso pra logo — especialmente para troca de músicas, pois aí a Apple teria que se ver com as gravadoras, ou para compartilhar arquivos, por questões de segurança.

Outra coisa difícil de acontecer vai ser a Apple implementar um sistema de arquivos geral, acessível a todos os apps: já que ela começou simplificando o gerenciamento de arquivos pra zero e isolando os aplicativos em áreas próprias (sandboxing), é muito difícil haver um retorno nesse aspecto. Portanto, um modo de disco e pasta de downloads no Mobile Safari, apesar de serem recursos tentadores, não deverão aparecer.

Assim como sincronização sem fio ou livre do iTunes: quase dez anos depois de lançar o primeiro iPod, a Apple criou toda uma cultura de hub digital que não há de sumir — pelo menos não enquanto inexistir uma alternativa viável. A forma como a sincronização funciona atualmente é tão delicada que só a confiabilidade de uma conexão com fio impediria que arquivos fossem corrompidos por causa de perda de sinal. Outra coisa tradicional é a interface do iPhone, que deverá se manter com um jeitão de grade de ícones por muito tempo ainda. E temas, apesar de divertidos, não fazem o estilo da gigante de Cupertino, que é tão orgulhosa e ciumenta com suas crias.

E uma das crias dela, o Mac OS X, serviu de base para o iPhone OS: toda a fundação é a mesma, mas as camadas mais superiores são inteiramente customizadas para rodar em um aparelho com recursos físicos limitados. Por isso, apesar da sedutora ideia de ter um Mac no seu bolso ou na sua mochila, os grandes gatos hão de permanecer nos desktops e laptops — contentemo-nos com o iPhone OS Jaguatirica.

Justamente por esse sistema ser otimizado para contar com poucos recursos, plugins hão de ser no-show para sempre: quem quiser Flash no iPhone OS vai precisar esperar um bocado — especialmente porque está armada uma verdadeira guerra em torno disso.

Algo que qualquer celular faz é ativar o despertador mesmo quando está desligado — mas o iPhone não é “qualquer celular”. Ter isso seria uma mão na roda, mas o sistema deve ser complexo demais para manter o relógio rodando quando todo o resto está desligado.

Falamos de widgets no iPad, mas e no iPhone? Improvável de acontecer: a tela é muito pequena para acomodar algo parecido com o Dashboard. Outra coisa que infelizmente não deverá chegar é um sistema de configurações (Wi-Fi, Bluetooth, 3G, modo avião) que não precise de uma jornada até o app Settings: provavelmente a única forma de fazer isso mais agilmente será deixando-o em background. Uma pena, pois uma coisa chata que deveria mudar era a possibilidade de ativar serviços de localização quando um app os requeresse. Mas, quem sabe, se o pessoal da Maçã pensar numa gaveta superior, à la Nexus One, que fosse chamada apertando o Home três vezes…

Algo que o Windows Phone 7 terá e que o iPhone OS poderia copiar: integração entre o app Contatos e redes sociais. Seria legal, mas é improvável que a Apple se sujeite a usar APIs de terceiros em um app integrado ao sistema operacional. E se elas mudarem? E quando precisar atualizar? Complicado. Assim como apagar apps que vêm de fábrica: acho que conviver com eles vai ser o jeito. Pelo menos vai ser possível deixá-los numa pasta só, lá longe, na última Home Screen. 😛

Finalizando…

Daqui para junho, muito coisa ainda pode acontecer. Se a Apple comprar a Palm, por exemplo, várias patentes novas se incorporarão ao portfólio da Maçã — o que significa mais recursos para o usuário final. Coisas que ainda nem imaginamos (ou que já sabemos muito bem) poderão ser adicionadas “de última hora” quando o hardware dos novos iPhones for revelado, então se algum desejo seu parecer improvável hoje, pode ser que ele apareça amanhã.

O lance é esperar. 😉

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Mac OS X 10.6 Snow Leopard num MacBook Pro

Rumor: desenvolvimento do Mac OS X 10.7 estaria lento por causa do iPhone OS

Próximo Artigo
Logo da Apple com bandeira do Brasil

Revendas Apple traçam um cenário da venda de computadores da empresa no Brasil

Posts Relacionados