O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Parallels Desktop 16.5 agora roda o Windows em Macs M1

A ponte está, enfim, construída
Windows 10 Arm rodando em MacBook Pro M1 com Parallels Desktop 16.5

Para quem adquiriu (ou está pensando em adquirir) um dos novos Macs com chip M1 e precisa rodar o Windows na máquina como sistema secundário por qualquer motivo, seus problemas acabaram: depois de alguns meses de testes, o Parallels Desktop 16.5 já está entre nós exatamente com essa capacidade.

Publicidade

A nova versão do utilitário funciona exatamente como antes: você pode rodar o Windows numa janela separada, autocontida, ou abrir janelas de programas do Windows lado a lado com suas janelas de apps nativos do Mac, como se todos estivessem rodando no mesmo ambiente. Todos os demais recursos do software também estão presentes, como os perfis compartilhados (para arrastar arquivos entre o Mac e o Windows), suporte à Touch Bar e comandos personalizados e teclado.

O detalhe, claro, é que você precisará necessariamente instalar a versão ARM do Windows 10 — que, como sabemos, não traz plena compatibilidade com todos os softwares para PCs e ainda tem algumas limitações em relação à versão “comum”. A Microsoft prometeu para breve uma ferramenta que permitirá emular apps x64 no Windows 10 ARM (nos moldes do Rosetta 2 para o macOS), mas não sabemos como será a integração dessa ferramenta com o Parallels.

Vale notar, também, que a Microsoft ainda não disponibilizou uma versão final do Windows 10 ARM para os consumidores — quem quiser instalar uma máquina virtual com Windows no M1, portanto, precisará baixar a versão Insider Preview do sistema operacional no site da empresa.

Publicidade

O vídeo abaixo traz mais detalhes sobre o processo:

Por outro lado, o utilitário — como tem se tornado costume — ganhou melhorias drásticas de performance em sua transposição para o Apple Silicon: segundo a Parallels, ele usa 2,5x menos energia para virtualizar o Windows e oferece performance 30% melhor em relação a um MacBook Pro com chip Intel Core i9. A performance gráfica do DirectX 11, por sua vez, é 60% superior — e olha que a comparação é com um MacBook Pro equipado com uma GPU AMD Radeon Pro 555X.

Além do M1, a nova versão do utilitário continua trazendo suporte normal aos Macs com Intel (e, neste caso, você poderá instalar o Windows 10 x64 normalmente, como sempre). O Parallels Desktop também traz suporte a sistemas Linux como o Ubuntu 20.04, o Kali 2021.1, o Debian 10.7 e o Fedora 33-1.2. Em breve, será possível rodar também uma segunda instância do próprio macOS Big Sur dentro de uma máquina virtual, um recurso ótimo para testes.

Publicidade

O Parallels Desktop 16.5 é uma atualização gratuita para todos que adquiriram a versão 16, lançada há alguns meses. Quem adquiriu as versões 14 ou 15 do utilitário poderá fazer o upgrade por US$50, enquanto uma licença definitiva avulsa do software sai por US$100. Você também pode obtê-lo pelo modelo de assinatura, que custa US$80 ao ano — todos os detalhes podem ser conferidos nessa página.

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão por cada venda concluída por meio dos links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Consumidor britânico compra maçãs, mas recebe um iPhone SE

Próximo Artigo
Ícone do Coronavírus - SUS

App de alerta de exposição à COVID-19 fracassa no Brasil

Posts Relacionados