O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Expo 2020 destaca carros autônomos e Steve Jobs como um dos inventores do século

Não, a data não está errada. A Expo 2020 realmente aconteceu em 2021/22, devido à pandemia da COVID-19. A World Expo acontece desde 1851 e busca trazer um panorama de todos os países e de seu desenvolvimento, inovação e oportunidades de negócios. Para sediar a feira, cidades de todo o mundo se candidatam e são escolhidas em uma comissão. A edição 2015 foi em Milão, a de 2020 em Dubai e a de 2025 será em Osaka, no Japão.

Publicidade

Ao todo são mais de 200 pavilhões, 192 países representados e diversos shows e atrações que ocorrem durante um período de seis meses, entre 1º de outubro de 2021 e 31 de março de 2022. Em cada época nesses mais de 170 anos de feira, diferentes ênfases foram estabelecidas como destaque em cada edição. Grandes invenções (como o telefone) bem como importantes monumentos (como a Torre Eiffel) foram lançados nelas.

A Expo 2020 teve três temas principais: Mobilidade, Oportunidade e Sustentabilidade.

Destaques da feira

Em minha visão, podemos destacar cinco pontos como os mais presentes em todos os pavilhões da feira e nas propostas para o futuro.

  1. Energia limpa: existe uma crítica forte à utilização de energia fóssil por todos os países. A busca por outros recursos como energia solar e eólica foi apresentada como solução e caminho sem volta para a sustentabilidade do planeta no médio e no longo prazo.
  2. Redução da emissão de CO2: claro que gerou polêmica e ninguém foi inocente a ponto de acreditar que a retirada dos carregadores dos iPhones teve uma motivação 100% relacionada ao meio ambiente — basta ver os números demonstrados recentemente quanto aos ganhos da Apple com essa estratégia —, mas a intenção de redução do CO2 é um caminho bem acertado e atual escolhido pela empresa. Diversos países procuraram demonstrar suas metas de redução de CO2 até 2030, chegando à completa eliminação em 2050.
  3. Carros elétricos, autônomos e voadores: cada um dos temas principais ocupou um distrito da feira, com diversos países apresentando suas exposições. O distrito de Mobilidade foi um dos pontos altos da exposição. Diversos países demonstraram como sonham o tráfego de suas cidades mais populosas para os anos de 2030 e 2050. Dubai e Bruxelas destacaram um plano para que existam carros voadores, autônomos e elétricos para 2050, abrindo espaço para uma maior arborização nos projetos urbanos, cidades mais limpas e sustentáveis. Um pavilhão inteiro foi dedicado a contar a história da mobilidade no mundo, com flashes desde a criação das sandálias que permitiram ao homem caminhar por trechos maiores, até as grandes inovações previstas para os próximos 30 anos. Para os expositores, o carro autônomo está mais próximo e presente do que se imagina. Foram apresentados dados de que, nos últimos três anos, já foram percorridos 3,2 milhões de quilômetros por carros autônomos, especialmente na Califórnia.
  4. Robotização: sabemos que os robôs já estão presentes em diversas linhas de produção e atividades profissionais automatizadas. Mas, ao que tudo indica, a visão da SciFi já mostrada no passado, é de que eles passarão a fazer parte de nosso dia a dia em uso doméstico. Ideias semelhantes aos droides de “Star Wars”, com vida quase própria e tomada de decisão, estão nos planos das empresas de tecnologia.
  5. Inteligência artificial: muito se falou nela nos últimos anos, mas seu uso ainda tocou apenas a profundidade do que pode ser feito. A IA foi demonstrada de maneira muito mais profunda e presente em todas as áreas da vida das pessoas. Em parceria com os robôs, ela será a principal ferramenta de entretenimento em um futuro próximo.

Steve Jobs entre os grandes inventores do século

No pavilhão dos Estados Unidos, foram destacadas: a liberdade do país (seria alguma provocação à região da feira?); os avanços no espaço, com réplica do foguete da SpaceX de Elon Musk; e grandes invenções de americanos que beneficiaram a humanidade como um todo.

Na galeria, bem ao lado de Alexander Graham Bell, encontramos a imagem de Steve Jobs e o iPhone. O fundador da Apple foi celebrado como um dos grandes inventores da história e o iPhone como uma revolução da mesma magnitude da invenção do telefone, revolucionando a telefonia móvel.

Conclusão

O futuro se mostra promissor. Particularmente, tenho a impressão de que não temos uma inovação realmente disruptiva desde 2007, com o iPhone. Se olharmos para os carros e outros meios de locomoção, sejamos honestos, pouco progresso foi empreendido além de velocidade, conforto, segurança e potência. Ainda precisamos entrar de lado para estacionar um carro, não temos os sonhados carros voadores (que na ficção científica já estariam disponíveis em nosso tempo) e os carros elétricos ainda estão engatinhando na maioria dos países.

Publicidade

Temos visto muita especulação sobre o tão esperado “Apple Car”. Considerando as tendências mundiais, o veículo pode estar demorando mais que o esperado para adaptar-se a um modelo completamente novo de veículo, como já vimos nas análises de alguns leakers.

Publicidade

Seria o “Apple Car” um conceito semelhante ao demonstrado no filme “O Canto do Cisne”, produção original da Apple TV+? Ou já seria um modelo com proposta flutuante e disruptiva? Pelo histórico da Apple, eles não deverão lançar algo totalmente novo, mas sim o aprimoramento de tecnologias já testadas por outras empresas. Só o tempo nos revelará o plano (e esse provavelmente estará fora das possibilidades da grande maioria dos brasileiros, uma vez que será difícil trazer na mala ou encomendar pela Zip4Me).

Quem sabe, assim como o iPhone, a Apple não entrará para história com uma revolução totalmente disruptiva com seu carro? Será esse, o destaque da feira de Osaka em 2025? Vamos aguardar ansiosos pelos próximos passos da tecnologia!

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Mulher mais velha segurando um smartphone com uma mais nova ao lado

Os 5 artigos mais lidos no MacMagazine: de 27 de março a 3 de abril

Próximo Artigo
Face ID

Ming-Chi Kuo concorda que Face ID sob a tela chegará em 2024

Posts Relacionados