O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Wachiwit / Shutterstock.com
AirTag

Policial é preso após esconder AirTag em carro de ex-namorada

Um policial do condado de Miami-Dade, no estado da Flórida (Estados Unidos), foi suspenso do serviço após ser acusado de plantar um AirTag no carro da sua ex-namorada para espioná-la. De acordo com informações do Miami Herald, a vítima foi alertada da existência do acessório por um dos recursos de segurança criados pela Apple.

Publicidade

Ainda segundo o veículo, o patrulheiro Javier Magarin, de 27 anos, escondeu o rastreador no carro da vítima apenas algumas horas após o término do relacionamento, ocorrido em março deste ano. Mesmo já não morando mais com a ex-namorada, o oficial continuou aparecendo próximo aos locais onde ela estava (por conta do AirTag).

A vítima passou a desconfiar que estava sendo rastreada após perceber um alerta sonoro constante vindo do seu carro. Mesmo não conseguindo identificar onde o AirTag havia sido escondido, ela foi confrontar Magarin, que negou ter colocado um rastreador no veículo.

Após o som permanecer por mais alguns dias, a vítima recebeu outro alerta em seu iPhone notificando-a sobre a presença de um AirTag desconhecido. Ao ser confrontado novamente, Magarin admitiu ter escondido o rastreador, mas alegou ter o removido.

Publicidade

O oficial, entretanto, seguiu sendo visto próximo de sua ex-namorada, que chegou, até mesmo, a considerar uma possível ordem de restrição. Magarin, por sua vez, respondeu com fotos de armas em seu Instagram e mensagens ameaçadoras.

A vítima finalmente dirigiu até a delegacia do Distrito Noroeste da Polícia de Miami-Dade após receber mais uma notificação em seu iPhone alertando sobre a presença do rastreador. Os policiais, então, encontraram o AirTag escondido no para-choque traseiro do veículo.

Magarin foi preso no dia 3 de junho após a Apple confirmar para as autoridades que o acessório era, de fato, oficial. Magarin deverá responder pelo crime de perseguição e uso ilegal de dispositivo de rastreamento.

Publicidade

Em um comunicado, seu advogado de defesa, Giancarlo Casanova, negou as acusações e classificou seu cliente como um “um oficial exemplar”.

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Denúncia no Twitter

Twitter torna processo de denúncia mais "humanizado"

Próximo Artigo
Capa do MacMagazine no Ar #479

MacMagazine no Ar #479: WWDC22, iOS/iPadOS 16, CarPlay, MacBooks com M2, macOS Ventura e muito mais!

Posts Relacionados