O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apps de rastreamento da COVID-19 enfrentam problemas de adoção ao redor do mundo

Pense rápido: quantas pessoas no seu círculo social sabem da existência do app brasileiro?
Coronavírus
Shutterstock.com

Quando a Apple e o Google se juntaram para criar a API de alerta de exposição ao novo Coronavírus (COVID-19), as reações iniciais foram mistas: agentes da área de saúde pública (em sua maioria) elogiaram a iniciativa e alguns países aderiram à tecnologia rapidamente, mas grupos de privacidade digital apontaram alguns problemas na API e outros países torceram o nariz para a coisa toda.

Publicidade

Meses depois, os problemas parecem estar basicamente resolvidos: Apple e Google ajustaram alguns parafusos na tecnologia para reforçar a privacidade, as críticas foram arrefecendo e vários países foram lançando seus aplicativos integrados à API, incluindo o Brasil. Só há um problema, agora: a taxa de adoção.

O The Markup publicou ontem uma reportagem traçando um mapa de como os países do mundo estão tirando proveito (ou não) dos seus aplicativos de rastreamento da COVID-19, e, pelo visto, os números não são lá muito positivos. Apenas dois territórios têm adoção alta das tecnologias: a Irlanda, onde o app local foi baixado 1,4 milhão de vezes (num país de 4,8 milhões de habitantes) e a Alemanha, com mais de 16 milhões de downloads (e população de 83 milhões).

O resto do mundo não traz números tão positivos — a maioria dos países ainda vê taxas de adoção abaixo daquelas consideradas ideais pela Universidade de Oxford. E olha que, segundo pesquisadores da instituição, a taxa de adoção nem precisa ser tão alta para que os apps representem alguma diferença na transmissão do vírus: segundo o estudo, basta que entre 20% e 40% da população adira à tecnologia para que ela faça algum efeito.

A reportagem não traz números do Brasil, mas por aqui as coisas parecem não estar nem próximas do ideal. A App Store não mostra números de downloads, mas checando a página do Coronavírus – SUS no Google Play, a loja limita-se a apenas dizer que o app tem “mais de 1 milhão de downloads”.

Considerando que o mercado de smartphones brasileiros é dominado pelo Android, o número está muito abaixo dos 40 milhões de usuários considerados o mínimo para tornar o app efetivo. Também, pudera: a divulgação da existência do aplicativo (e da sua importância) é mínima nos canais oficiais do governo ou nos meios de publicidade.


Ícone do app Coronavírus - SUS
Coronavírus - SUS de Governo do Brasil
Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 2.4.2 (98.1 MB)
Requer o iOS 12.5 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

E olha que, ao menos, nós temos um app para chamar de nosso: vários países que já anunciaram adesão à API ainda não lançaram nenhum app do tipo. O Reino Unido, por exemplo, tem armado uma verdadeira gangorra: o país começou dizendo que não adotaria a tecnologia e depois mudou de ideia, anunciando para breve o lançamento de um aplicativo integrado a ela. Os britânicos ainda nem sentiram cheiro do app, e uma matéria recente do The Times indicou que as autoridades de saúde estariam considerando desistir da API e lançar um app alternativo, levando em conta apenas dados pessoais e um “fator de risco” para cada usuário.

Nos Estados Unidos, onde as taxas de contaminação e mortes ainda são consideradas altas, cada estado deverá desenvolver seu próprio app integrado à API das empresas. Até agora, entretanto, só dois (Alabama e Virgínia) lançaram suas soluções; vários outros têm aplicativos em desenvolvimento, mas ainda sem previsão de disponibilidade.

Publicidade

Ou seja: por mais que a intenção da Apple e do Google tenha sido boa, em pouco ela ajudará se as coisas se mantiverem nesse ritmo. Vamos ver como esses números se mostrarão nos próximos meses — e torcer para que, o mais breve possível, nenhum desses aplicativos seja mais necessário.

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
MOFT Carry Sleeve

Nova capa para laptops se transforma num stand com design inteligente

Próximo Artigo
Gradiente iPhone

STF aceita julgar disputa da Gradiente pela marca "iPhone" [atualizado]

Posts Relacionados